OS PROFISSIONAIS DA UTI NEONATAL

A unidade de terapia intensiva neonatal concentra os principais recursos – humanos e materiais – necessários para dar suporte às funções vitais do bebê prematuro.

Nesta unidade, os bebês são assistidos por uma equipe de especialistas (médicos, enfermeiras, nutricionistas, psicólogos, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, etc.) e contam com equipamentos que lhe garantirão as funções vitais nas primeiras horas e dias de vida.





Neonatologista


Quando nasce um bebê, prematuro ou não, uma das primeiras pessoas a acolhê-lo é o pediatra neonatologista que está presente na sala de parto. É ele quem vai garantir os primeiros cuidados e avaliar as condições de saúde do recém-nascido.

Pois então, a Neonatologia (neo = novo; nato = nascimento; logia = estudo) é o ramo da pediatria que cuida de bebês desde o nascimento até 28 dias de vida, quando estes deixam de ser chamados de recém-nascidos (ou neonatos) e passam a ser lactentes.

Em toda UTI Neonatal há um neonatologista de plantão. Seu prematurinho provavelmente tem (ou teve) também um médico assistente, que é aquele profissional considerado “responsável” pelo bebê internado e que troca informações continuamente com os plantonistas do hospital.

Muitos desses profissionais dedicam-se exclusivamente à neonatologia, ou seja: quando o bebê que eles acompanham sai da UTI (tem alta), ele é encaminhado para um pediatra. Porém, alguns neonatologistas também dedicam suas vidas ao consultório de pediatria e continuam acompanhando seus pequenos paciente de UTI por toda infância.

Pediatra

É o profissional que vai cuidar da saúde do seu bebê quando ele sair da UTi e por toda sua infância, até mesmo na adolescência. Por isso, procure um pediatra experiente e que lhe transmita total confiança. Peça indicações na UTI ou converse com o neonatologista sobre isso.


Enfermeiros e técnicos em enfermagem

A equipe da UTI é composta por enfermeiros e técnicos em enfermagem. Os enfermeiros têm curso superior e trabalham no atendimento especializado ao bebê, além de orientar a equipe no dia-a-dia. Os técnicos têm formação de nível médio e são os profissionais que estão ao lado do bebê 100% do tempo: checam sinais vitais, trocam fraldas, dão banho, alimentam, etc. Conhecem o prematuro como ninguém!



Nutricionista

É o profissional de nível superior que cuida da dieta do prematuro. Atua em conjunto com a equipe multidisciplinar, definindo qual a melhor opção de alimentação para o bebê em termos de volume, diluição, frequência, etc. Também é habilitado a orientar o processo de amamentação na UTI.


Fisioterapeuta

Profissional de nível superior que estimula a parte motora e respiratória do prematurinho, diminuindo as sequelas da prematuridade e o atraso que ele pode apresentar em relação aos bebês a termo.


Psicólogo

Profissional de nível superior que promove a humanização do atendimento na UTI, cuidando da saúde emocional das famílias dos bebês prematuros e garantindo o cuidado com a manutenção do vínculo mãe-bebê. Atua também juntamente à equipe multidisciplinar, dando apoio psicológico à mesma e facilitando suas relações e a comunicação com os familiares.


Fonoaudiólogo

Profissional de nível superior que trabalha principalmente com a estimulação da oral do bebê, ensinando a ele como coordenar sucção-deglutição-respiração, a fazer a pega correta e a sugar o seio (ou a mamadeira) efetivamente. Além disso, é ele o responsável pela avaliação dos resultados do indispensável teste da orelhinha no bebê prematuro.


Cardiologista

Médico especializado no coraçãozinho do prematuro. Seja por problemas cardíacos congênitos ou pelo não fechamento do canal arterial (PCA), é o cardiopediatra que vai conduzir o tratamento do bebê da forma mais eficaz.


Oftalmologista

Profissional especialista na visão do bebê. Como os prematuros correm maior risco para desenvolver retinopatia da prematuridade, eles serão avaliados pelo oftalmologista e, se necessário, será feito o acompanhamento durante a internação após a alta.


Neurologista Pediátrico

É um pediatra especializado na saúde d sistema nervoso. Bebês prematuros tendem a ter hemorragias intracranianas que podem ou não lesionar partes do cérebro. É ele quem vai acompanhar o correto desenvolvimento neurológico do seu prematuro.



Pneumologista Pediátrico

É o pediatra especializado em cuidar da parte respiratória do bebê. Por nascerem com os pulmões ainda em formação, os prematurinhos tendem a desenvolver problemas e sequelas respiratórias que devem ser acompanhados de perto por este profissional. Displasia bronco pulmonar, rinite, sinusite e asma são exemplos dessas complicações.


Pneumologista Pediátrico

É o pediatra especializado em cuidar da parte respiratória do bebê. Por nascerem com os pulmões ainda em formação, os prematurinhos tendem a desenvolver problemas e sequelas respiratórias que devem ser acompanhados de perto por este profissional. Displasia bronco pulmonar, rinite, sinusite e asma são exemplos dessas complicações.


Gastroenterologista Pediátrico

É o médico que cuida da saúde digestiva do bebê. Alguns prematuros podem desenvolver problemas gastrointestinais decorrentes da prematuridade e é o gastropediatra que vai orientar a melhor alternativa de tratamento.


Incubadora

Tem por função substituir o útero materno, mantendo um ambiente quente e regulando a temperatura do bebê. Proporciona a umidade necessária ao equilíbrio do bebê e protege-o das infecções e do barulho.


Monitores de frequência cardíaca e respiratória

Através de fios que terminam em pequenos adesivos que são colocados no peito e no lado esquerdo da barriga do bebê, informa como é o ritmo cardíaco e respiratório do bebê.


Oxímetro

Através de uma pequena tira com uma luzinha vermelha colocada no braço ou no pé do bebê, mede continuamente a oxigenação do sangue e permite regular a quantidade de oxigênio que ele precisa.


Cateteres centrais e periféricos

Pequenos tubos inseridos na veia do bebê, os chamados catéteres, possibilitam a administração de soro e medicação que o bebê necessita nas primeiras horas e talvez dias. Este catéter pode ser periférico e estar colocado nos membros superiores, inferiores ou na cabeça. Já o cateter central pode ser colocado nos primeiros dias de vida numa das veias ou artéria do cordão umbilical ou pode ser colocado numa das veias dos braços, da região do pescoço, virilha e tórax. Os catéteres centrais (PICC) são de longa duração e como tal evitam que o bebê tenha que ser puncionado (picado) repetidamente.


Ventilador

Permite fazer vários tipos de ventilação, que vão desde a ventilação completa até uma pequena ajuda quando o bebê esquece de respirar. A ventilação é feita através de tubos que entram na incubadora e se ligam ao bebê através de um tubo endotraqueal que se encontra na boca ou no nariz e vai até a traquéia do bebê.


CPAP

Quando o bebê necessita apenas de uma pequena ajuda para respirar, utiliza-se um aparelho chamado CPAP, que através de pequenos tubos colocados no nariz e fixos a uma touca o ajudam a respirar. CPAP é a sigla para “Continuous Positive Airway Pressure”, que significa pressão positiva contínua nas vias aéreas.


Sonda gástrica

É um pequeno tubo que pode ser introduzido na boca (oro) ou no nariz (naso) e que vai até o estômago, servindo para verificar o conteúdo do estômago (resíduo gástrico) e, principalmente, para alimentar o bebê.



Fonte: Experiências de um técnico de enfermagem.




102 visualizações
Sem título-1.png
icones-ingressar.png