Os desafios para atuação do Enfermeiro em Urgência e Emergência.

O avanço tecnológico, a velocidade da informação e o mercado competitivo  vêm exigindo constantes mudanças no mundo organizacional, inclusive na área da saúde. Neste contexto, a formação de profissionais aptos para o mercado de trabalho vem sendo um dos maiores desafios. O PROFISSIONAL DA ENFERMAGEM A enfermagem é uma profissão que possui um corpo de conhecimentos próprios, voltados para o atendimento do ser humano, nas áreas de promoção, recuperação e reabilitação da saúde, bem como prevenção de doenças e gravos. É desenvolvida por toda a categoria de enfermagem, regulamentada por sua Lei do Exercício Profissional, reconhecida pelo respectivo conselho profissional.

No Brasil, a enfermagem está inserida em processo de trabalho mais amplo e coletivo de saúde, em parceria com outras categorias profissionais, tendo em vista a interdependência e complementaridade dos saberes para prestação de uma assistência integral.Os profissionais de enfermagem devem acompanhar as transformações da sociedade por meio de constantes atualizações em novas áreas, sobretudo, em gestão e liderança, visto que esses profissionais lidam com diversas tecnologias (leves, leve-duras e duras), e têm papel fundamental no processo de disseminação do conhecimento.Trata-se de uma ciência que vem evoluindo e ganhando seu espaço, mas que tem muito a desenvolver, pois além de assistir, planejar e administrar, deve ser reconhecida pelo seu trabalho de liderança e de gestão de pessoas.


DESAFIOS E RISCOS PROFISSIONAIS EM SETOR EMERGENCIAL


Sabe-se que o ambiente de trabalho modificou-se e acompanha hoje o avanço tecnológico com mais velocidade do que a capacidade de adaptação dos trabalhadores. Os profissionais vivem hoje sob constante tensão, não só no ambiente de trabalho, como também na vida em geral.A nossa sociedade é centrada no trabalho, o qual é visto como forma de realização pessoal, chance de aprendizado e geração de desafios, tornando a pessoa responsável e muitas vezes admirada pela atividade que desempenha.A enfermagem deve buscar um espaço de destaque no mercado atual valorizando a profissão que é uma ciência em beneficio do ser humano e aprimorando o conhecimento baseado nas melhores evidências, pois o mercado atual apresenta diariamente inovações nesta área.Isto, posto é necessário que os serviços de saúde repensem seus métodos de trabalho, acreditando que o melhor investimento é no desenvolvimento de suas equipes formando líderes e gestores com estratégias para obterem maior produtividade com resultados positivos, tanto para a instituição como para o próprio profissional.Há estudos que apontam diversos riscos ocupacionais da enfermagem que atua em emergências, porém também demonstram que as ações voltadas à prevenção não impactam nas reais necessidades e dificuldades vivenciadas por estes trabalhadores. Os profissionais sabem da importância da utilização dos EPI, mas afirmam que nem sempre utilizam por falta de tempo.A ideia que se tem é de que quem cuida sabe se cuidar, então necessariamente, não precisa ser cuidado. No entanto, a realidade é diferente, visto que as pessoas que cuidam precisam ser cuidadas devido ao possível desgaste físico e emocional ocasionado.Gerenciar a superlotação nos serviços de emergência nos grandes centros é um desafio para os enfermeiros, pois além de organizar e direcionar a equipe, precisa planejar o cuidado visando condições adequadas de acordo com a gravidade de cada caso.Os profissionais estão expostos a vários riscos ocupacionais, pois o contato direto com os pacientes aumenta a proximidade com sangue e fluidos corpóreos. Os dispositivos invasivos e procedimentos aumentam a manipulação de materiais perfurocortantes; além da rotina em geral que exige esforço físico dos trabalhadores. Essa exposição preocupa os profissionais, necessitando de maior supervisão e capacitação para adotar medidas preventivas e manterem-se atentos ao que estão fazendo.Apesar das intercorrências e exigências emocionais e físicas, os profissionais relatam que o trabalho é gratificante, por proporcionar o alívio da dor e do sofrimento ao paciente e a possibilidade de salvar vidas, que para eles são fontes de satisfação e conforto e contribuem para o equilíbrio emocional dos trabalhadores. As situações de atendimento são desafiadoras, e proporcionam realização plena quando terminam com êxito.


CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL


O papel da enfermagem tem se modificado ao longo do tempo, trazendo novas oportunidades no que diz respeito à gestão e gerenciamento de serviços de saúde. Nesse contexto surge a importância da Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE).A Sistematização da Assistência de Enfermagem é uma ferramenta que possibilita ao enfermeiro aplicar seu conhecimento teórico na prática assistencial, além de individualizar o atendimento de acordo com as necessidades de cada usuário.Para isto, além da formação acadêmica, cada profissional deve buscar atualização e capacitação constante para possibilitar a implantação e manutenção de qualidade do Processo de Enfermagem.A era da informação está trazendo novos e diferentes desafios para as organizações e, sobretudo, para sua administração. Nunca na história das organizações, a teoria administrativa se tornou tão imprescindível para o seu sucesso. A constante necessidade de inovação e renovação, a busca de flexibilidade e agilidade para proporcionar mudança e transformação, a adoção de novas ideias e conceitos tornam o cenário cada vez mais dinâmico e competitivo.A educação permanente é fundamental no setor de urgência e emergência, pois ajusta a equipe às necessidades do setor e proporciona a melhoria da qualidade na assistência. Por isso, as recomendações da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde são de que a mesma seja incorporada ao cotidiano dos serviços de saúde.Os profissionais reconhecem que trabalhar na unidade de emergência é uma fonte de realização profissional, pois se sentem reconhecidos e percebem que o setor possibilita um grande aprendizado, e prepara os profissionais para atuar em qualquer tipo de trabalho.Para o atendimento em emergência, o enfermeiro precisa de atualização constante. Atualmente a Política Nacional de Humanização tem preconizado que os serviços busquem capacitação e qualificação dos enfermeiros para implantação do Acolhimento com Classificação de Risco. Com esta medida adotada, além da organização da fila de espera, favorece o atendimento adequado não pela ordem de chegada, mas sim de acordo com os riscos de cada caso.





256 visualizações
Sem título-1.png
icones-ingressar.png